14 de abril de 2016

As folhas de rosto nos livros ilustrados de literatura infantojuvenil: uma proposta tipológica

Deixo-vos aqui o início do meu artigo, recentemente publicado na Tropelías: Revista de Teoría de la Literatura y Literatura Comparada, nº 25 (2016), onde avanço com uma proposta tipológica para as folhas de rosto dos livros ilustrados para crianças. A revista é de livre acesso, pelo que poderão ler o artigo na íntegra sem problema. Podem continuar a ler aqui.

As partilhas são muito bem-vindas!


22 de fevereiro de 2016

Gerontologia e Transdisciplinaridade

Mais um trabalho. Desta vez design e ilustração da capa de um livro para adultos sobre os mais velhos. Uma temática muito pertinente! Quem quiser adquirir pode fazê-lo aqui. Gerontologia e Transdisciplinaridade foi coordenado por Vítor Fragoso e Margarida Sotto Mayor. A edição ficou a cargo de Portal Edições. Em baixo deixo-vos a sinopse.
 
Gerontologia e Transdisciplinaridade desafia a comunidade em geral e a científica em particular a fazer o exercício da transdisciplinaridade deixando-se “contagiar pelos saberes do outro”. Aborda a problemática do envelhecimento com as consequências sociais, educativas, psicológicas e médicas inerentes, num percurso que prima pela cooperação multidisciplinar internacional entre Portugal, Brasil e Espanha. O livro expressa a opinião dos vários autores, com ênfase para a importância da cooperação intergeracional, da aprendizagem ao longo da vida e da inclusão digital de adultos idosos, reduzindo estigmas e fazendo apelo a um modelo multifatorial de saúde global e integrativo.

Aborda os aspetos da gestão das práticas dos profissionais das diversas áreas do saber tendo como pressuposto uma abordagem transdisciplinar, transcultural e transreligiosa. Esta publicação potencia a formação global, estimula uma visão armilar do saber e contribui para diferenciar as respostas para as idades mais tardias e para fazer emergir uma nova consciência, que supere as diversas fragmentações existentes que se deseja que culmine numa ecologia de saberes.

7 de dezembro de 2015

Para o poema 'Adolescente' de Duarte Solano

Aqui está a ilustração a cores que deu origem à minha humilde contribuição para A Bula de dezembro do Correio do Porto.

1 de dezembro de 2015

Já não ilustrava há algum tempo. Desenferrujei com o que vos deixo.
Para quem está mal de letras ficam aqui uns comprimidos literários muito especiais que prometem aquecer!

24 de setembro de 2015

Colóquio Internacional Crianças, Cidade e Cidadania - Call for papers



Temáticas possíveis para as comunicações e os posters:
1. Políticas urbanas, infância e juventude
2. Modelos de intervenção com crianças e jovens no espaço urbano
3. Espaço, território, mobilidade e infância
4. Culturas da infância e ação cultural na cidade
5. Direitos da criança e a vida na cidade
6. Educação e cidade
Local de realização do colóquio: Centro Cultural Vila Flor
Comunicação e posters: apresentação de resumos (até 2500 carateres) até 30 de novembro
Informação de Aceitação: 31 de dezembro
Prevê-se a publicação de e-book com as conferências e comunicações aceites.
Programa definitivo: a divulgar até 15 de outubro
Inscrições: Público - 30 Euros | Estudantes - 15 Euros
Data limite de inscrições: 19 de fevereiro
Mais informações: http://www.adcl.org.pt/ciccc


18 de agosto de 2015

Filosofia visual para crianças

Ellen Duthie e Daniela Martagón criaram caixas que contêm pranchas ilustradas. Lá dentro encontram-se folhas soltas, trabalhadas como se de um livro-álbum se tratasse, com  questões que dão que pensar. A coleção Filosofia visual para niños tem edição Wonder Ponder. As publicações Mundo Cruel e Yo persona têm como destinatário preferencial a criança, mas as autoras desejam que também os adultos reflitam sobre estas questões complexas.
VXeyB-tyGQRnP74uIsayln8iVTCz5xkKZZaZegKZc64
«De momento están en el mercado Mundo cruel y Yo, persona, cada una con unos objetivos de trabajo muy concretos. Mundo cruel quiere hacernos reflexionar sobre el concepto de crueldad y sus derivados. Es una caja que quiere que hablemos con seriedad de este concepto con preguntas del tipo: ¿Matar hormigas te parece cruel?¿Crees que a veces los niños son crueles con los adultos?¿Cualquiera puede ser una víctima?

Yo, persona invita a asombrarte y reflexionar sobre dos preguntas muy cortas y no tan sencillas: ¿Quién soy? (¿Yo?) y ¿Qué soy? (¿Persona?). Si te atreves a adentrarte en la resolución de estas dos cuestiones, tendrás que tomarte tu tiempo y reflexionar sobre los puntos clave de cada una de las preguntas de cada lámina.»

Para ler mais.